Prefeitura faz “vista grossa” e inferno continua

Cadê a Lei Cidade Limpa em Ação?Após mais de dois anos do início de minhas reclamações perante a Prefeitura de São Paulo sobre os abusos da Vai-vai continuo sem receber uma resposta eficiente daqueles que cobram taxas, fiscalizam e colocam ordem em quase toda cidade, excluindo a Bela Vista dos rigores da lei que brilhantemente foi aplicada em outros casos.

Reparem que na foto ao acima pode-se ver placas com publicidade… Quer ver a foto ampliada? Clique aqui.

É mais um típico caso de “pau que bate em Chico, nem sempre bate em Francisco”, ou seja, os problemas são tratados de forma desigual. Clique abaixo para ver os casos e o restante do artigo:

1. Os bingos geravam empregos, mas estavam em desacordo com a lei e foram fechados.
2. Os ambulantes que atrapalhavam a passagem dos pedestres foram, em diversas áreas da cidade, removidos.
3. Prostibulos ou locais que estimulavam a prostituição foram autuados e lacrados.
4. Bares na Vila Olímpia, Vila Madalena, Itaim Bibi e em outros bairros que produziam barulho acima do limite também foram lacrados.
5. A colocação de outdoors, faixas e placas que enfeiavam a cidade e promoviam a poluição visual, apesar da geração de empregos, foi proibida.

Há cerca de 15 dias estive na promotoria para depor sobre um processo referente a infração da lei de zoneamento e fiquei perplexo ao ouvir as explicações do promotor: “Não podemos fechar a escola, isso é papel da prefeitura de São Paulo. Eu não servirei de muleta!”. Sobre o problema do zoneamento o promotor entende que, apesar de uma infração clara, a escola tem o direito de permanecer no local por ser uma entidade que promove a manifestação artística, fora isso ouvi que a escola é anterior a lei de zoneamento. Olhando por esse lado eu sou anterior a Constituição Federal e devo estar, por analogia, fora do alcance das leis. Gostaria de saber quem é o especialista que pode definir o que é “manifestação artística”…

Fui depor no DECRADI sobre a esdrúxula denúncia de racismo feita pelo presidente da escola e, pelo menos lá, vi que tem alguém que está interessado em cumprir as leis. Parabéns DECRADI! Em meu depoimento apresentei todas as provas que demonstram o verdadeiro foco da escola.

Ao falar com membros da prefeitura, sou informado de que existem vereadores fazendo pressão para que a escola continue no local. Tentei entrar em contato com o vereador Jatene, pedindo explicações para seu posicionamento, mas não obtive resposta. Achei estranho um vereador que quer melhorar a visibilidade dos adesivos do Disque-denúncia defender uma situação irregular. Provavelmente não obtive resposta porque ele deve estar muito ocupado… Veja os projetos dele, clicando aqui.

Parece que o presidente da câmara, vereador Antônio Carlos Rodrigues, também está tentando dissuadir a prefeitura de tomar as medidas cabíveis. Quero deixar claro que o espaço no In Blog está aberto para os citados se manifestarem.

Recebi e-mails do Secretário das Subs-prefeituras e Sub-prefeito da Sé, Andrea Matarazzo, que confirmam o interesse da prefeitura em resolver a delicada situação. Porém não vejo nada sendo feito, os ensaios e os problemas continuam.

Nisso ficam as questões: porque não se toma uma providência contra os abusos que já denunciei? Onde está o princípio da igualdade? Como e quem define o peso político de cada medida? Todos podem ficar indiferentes a lei ou isso só é permitido em alguns casos? A lei do zoneamento deve ser aplicada a todos ou existem exceções? Onde está a dignidade das autoridades competentes ao se omitirem? Para que serve o PSIU, se nele não há imparcialidade? Será que se eu continuar denunciando, serei perseguido, morto ou servirei de estímulo para que bons façam algo?

Quero aproveitar para agradecer aos leitores que manifestaram apoio através de seus comentários e das centenas de e-mails que recebi nestes últimos dias, foram mensagens de conforto, elogios e até ofertas de advogados se oferecendo em minha defesa.

Outros blogueiros também mostraram sua indignação publicando artigos em seus blogs e a estes que não se amedrontaram vai meu agradecimento especial, são eles:

Interney – Twitter do Edney Souza, blogueiro do blog de maior popularidade no Brasil, já merece agradecimentos
Acima de Deus
Pensar enlouquece, pense nisso
Flanela Paulista
Jackson Medeiros
Sampaist
O Brasileiro – O Melhor do Brasil é o Brasileiro
Tô com tempo
Blog do Onipresente
Itaim 365 dias
Paulo Lopes Weblog

Agradeço também aos portais/jornais:

Jornal O Estado de São Paulo – Versão Impressa
Portal Estadão.com.br
Jornal da Tarde
Oi Internet
Jornal Irohin
Jornal O Pantaneiro
FNDC – Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação
Portal ClickPB
Vermelho Online
Portal Americana Digital

Observatório da Imprensa
Globo.com – matéria 1
Globo.com – matéria 2

Obs. O portal Globo.com também publicou matérias referentes ao problema, mas foi parcial dizendo que não conseguiu me encontrar, apesar dos e-mails que enviei para a repórter Luísa Brito e do telefonema que dei a ela.

Leia mais assuntos relacionados:

O Brasil a caminho da segregação racial
Denunciei as irregularidades e sou acusado de racismo pelo presidente da escola de samba
Escola de samba ameaça a voltar a ensurdecer seus vizinhos

Link para o vídeo denúncia

Quero agradecer especialmente ao José Rubens Domingues Filho, presidente da Juventude do PSDB da capital, pelo apoio e pelas manifestações favoráveis ao cumprimento das leis da cidade, comportamento este que mostra o caráter e a sua orientação como munícipe.

35 Responses to Prefeitura faz “vista grossa” e inferno continua

  1. denilson disse:

    Incrível como a sociedade não sabe viver em sociedade. É capaz de integrante da escola quando chega em casa depois do ensaio, ligar para polícia para reclamar de algum barulho que incomoda o sono dele proximo de sua residência.
    Quer chamar a atenção dos dirigentes da escola para sentar, e conversar sobre o assunto? Já que a prefeitura não faz nada, contrate um equipamento de som, direcione para a escola e execute sequencias de percussão, com marcações quebradas. Você vai derrubar a bateria da escola durante o ensaio. Não vai ter mestre de bateria que consiga segurar o ritmo, com contrapontos na cabeça dos músicos. Claro que esta é uma idéia sem noção. Seria contra-atacar com a mesma arma, mas não é o caminho.
    Torcemos para que seja encontrada uma solução racional ( por favor não vão achar que o racional é racista. Parece que qualquer coisa que é dito, conseguem levar para um lado que não tem nada haver), e que no mínimo consiga ter uma política de boa vizinhança, se é que isso é possível. Um abraço e sucesso a todos.

  2. Ivo Cardoso disse:

    Uma cidade que tem um cidadão combativo como você não pode perder a esperança de um futuro mais civilizado.

  3. Gilson Martins disse:

    Parabenizo a todos que realmente se dispõe a favor do respeito. Gostaria de acrescentar mais uma observação. e/ou me esclarece-se um assunto.
    VOCÊS JÁ OBSERVARAM QUE NO DIA DO CARNAVAL A PREFEITURA CEDE MUITOS ÔNIBUS ÀS ESCOLAS DE SAMBA? O que eu queria sabre é porque isso? Se a pessoa tem R$ 150,00 a 600,00, para gastar com uma fantasia, ela não tem R$2,30 para uma condução, ou alugar um ônibus. Conheço pessoas que trabalharam nesses dias como motoristas, e eles me dizem que é uma bagunça e sempre há ônibus quebrado pelos próprios membros das escolas, há o consumo de drogas e o motorista não pode se manifestar contra isso, afinal um ônibus lotado de pessoas concordadndo com a bagunça e só ele se manifestar pode trazer prejuízos a ele.
    PORQUE ENTÃO NÃO FORNECEM UM DIA NO ANO DE CONDUÇÃO GRATUITA AOS TRABALHADORES, GARANTO QUE ESSES VÃO RESPEITAR A OPORTUNIDADE, E VÃO UTILIZÁ-LO DA MANEIRA MAIS HUMANA.

  4. ADRIANA disse:

    Sou muito solidária a este cidadão que tenta viver com o mínimo de decência. Já passei por um caso semelhante, não era escola de samba, mas também tive que conviver 10 anos com festas e barulhos muitas vezes até 6 horas da manhã, acabei me mudando de lá, eles foram mais fortes do que eu, hoje penso, se nós daquele condomínio tivéssemos ganho esta batalha eu poderia continuar vivendo em minha querida casa, eles seriam expulsos e nós teríamos o gosto da justiça, mas infelizmente não foi assim, adimiro a bravura deste cidadão que é incansável, e torço sinceramente para que ele sinta o gosto da justiça que vou deixar na saudade, estou divulgando sua história, acho que já estou ajudando de alguma forma pois entendo que quanto mais pessoas souberem deste episódio maior será a chance de um dia vivermos em uma sociedade mais justa e que respeita regras, esse é talvez o problema de nosso povo, não sabem respeitar regras porque sabem que não serão punidos, só que as regras só existem porque não conseguimos respeitar o próximo. Torço por você. Boa Sorte!

  5. Alexandre Dias (Radialista) disse:

    Estou contigo também. Sabemos que tudo acabar em pizza, mas se pelo menos podermos alardear e fazer menção dos nomes podres que usam essa Prefeitura para benefício de sí próprio, já é alguma coisa.
    Manifestação artística ??? Então vamos colocar umas 30 prostitutas, em céu aberto, na Praça da Sé, ensinando a subir no tal “Queijo”, (aquele palco em que as prostitutas fazem performances no ferro cromado e que a Novela DUAS CARAS, vende tão bem) …e deixar nossos filhos assistirem á mais uma aula de como se deve ganhar a vida. Não pouparei uma vírgula, em explicar para a Prefeitura que isso não passa de uma MANIFESTAÇÃO ARTÍSTICA !!! Quero que esses caras vão pra PQP !!!

  6. Liliana Prado disse:

    O problema maior com relação a solução do seu problema é fonte de renda que é gerada no carnaval. A Vai-Vai é uma das principais escolas de samba. Imagine o Carnaval sem ela… o maior problema é a sua localização: No centro de São Paulo.

  7. Lili disse:

    Infelizmente e assim que funciona o Brasil.
    O carnaval produz toneladas de lixo, barulho e todos sabem que quem mantem essas escolas de samba sao traficantes de favela.
    E mais facil proibir e lacrar do que fazer um restruturamento.
    Todos nos sabemos que a politica e a maioria de leis no Brasil eh feita para favorecer os politicos.
    Se o prefeito fosse dono de agencia de publicidade ele nao faria o que fez com essas proibicoes.
    Essa foto mostra claramente como sao as coisas.
    Fazer barrulho com carro de som cheio de propaganda pode?
    Sou afavor de tudo que seja com ordem, mas no Brasil ordem somente na bandeira “pra ingles ver”.

  8. […] Prefeitura faz “vista grossa” e inferno continua [image]Após mais de dois anos do início de minhas reclamações perante a Prefeitura de São Paulo sobre os abusos da […] […]

  9. Blondinaldo SP disse:

    Seria ideal que a cidade respeitasse o direito do outro. Acho difícil que algum vereador(a) tenha interesse em mudar a situação em que v. vive. Sugestão: convide o(s) vereador(es) contatados para uma “sessão” de tortura aí no seu apto. qdo. a escola “manifestar-se artisticamente”. Talvez ele, depois de uns comprimidos para dor de cabeça, fique sensibilizado com o problema dos moradores do entorno do Vai-Vai. Carnaval é preciso, mas civilidade muito mais”. Continue sua luta que ela é justa! Blondinaldo/SP.

  10. Suzana Trindade Mattos disse:

    Desculpa…eu poso até concordar com toda essa discução sobre o barrulho que a escola representa…mais vamos combinar uma coisa…se eu não estou enganada a Vai via está no Bexiga há mais de 70 anos.
    Eu tenho 32 anos e desde que me entendo por gente sei que este bairro é famoso por seus bares, festas chegando a ser considerado “O bairro mais boêmio de São Paulo”. Então pessoas, se é silêncio que vocês desejam porque não vão morar nos Jardins ???? Essa é amolhor solução para todos…
    O carnaval independente de vocês gostarem ou não é considerado um evento turisitico para a cidade de São Paulo. A prefeitura investe porque nesta data a expectativa é que São Paulo receba 28 mil turistas (crescimento de 17% em relação a 2007) no período de Carnaval, que devem movimentar cerca de R$ 40 milhões na economia local.

  11. Cara Suzana, creio que está lhe faltando informação, o orçamento da cidade de São Paulo é de R$ 25,2 Bilhões. R$ 40 milhões não são representativos dentro do que a cidade representa.

    Seu cálculo de gasto por turista também está equivocado, 28.000 turistas x US$ 150 = US$ 4.200.000, que convertidos para reais não chegam nem à dez milhões. O gasto por turista é estimado pela SPTuris – responsável pelo carnaval.

    Mesmo assim, o que estou defendendo é o cumprimento das leis, não me interessa saber se a escola tem 1, 10 ou 100 anos, ela como instituição está sujeita as penalidades.

    Fico imaginando sua posição se um dia roubarem você ou sua casa, será que você vai falar que é merecido, afinal São Paulo é uma cidade violenta, não quer ser assaltado more em Piraporinha do Norte?

    Se a escola quiser ficar, que fique, mas se enquadre nas leis e parem de torrar a vizinhança. Sugiro que a senhora faça uma pesquisa de opinião com os moradores dos arredores e com o comércio local, aí verá que todos tem medo de expor sua opinião. Será que o medo é infundado? Só tem mocinho por aqui, os imorais somos nós!

  12. Glauco disse:

    Nossa, já tem 70 anos que a escola está aí? Passou da hora de ir embora!

  13. Eduardo Silva disse:

    Prezado Marcelo: Parabéns pela iniciativa e persistência. Conte com meu apoio para que este país evolua da Idade Média para coisa melhor.

  14. nelson disse:

    Parabens pelo blog e pela combatividade.São Paulo está virando um inferno.Não há qualquer argumento que justifique perturbar o sono de cidadãos honestos e trabalhadores.
    Mas não espere qualquer apoio de vereadores.Eles não tem peito de enfrentar uma escola de samba e vão se agarrar no politicamente correto – manifestação artistica (sic).

  15. Eduardo Silva disse:

    Eu estava indo embora, mas aí li o comentário da senhora Suzana e não me contive. ILMA SRA Suzana: Por que a Sra e todos que adoram essa baderna – que faz esse nosso país parecer ridículo ao ser reconhecido intenacionalmente pelas baixarias- também não vão morar em outro planeta??. Nem me responda que eu ja sei. Como sempre vcs vão esperar acabar o carnaval para pensar e algo. Mas aí tem a olimpíada, as eleições…

  16. Nico Romano disse:

    Mesmo morando em Moema, distante dessa balbúrdia, expresso minha solidariedade. Não há o que discutir, absolutamente. Algazarra, incitação á violência, atentado ao pudor, perturbação da ordem. É causa ganha. O problema, prezado blogueiro, está na forma de conseguir sucesso em sua justa argumentação; nenhum político (executivo ou legislativo), promotor público, etc.. julgará prudente “mandar parar” o ensaio de uma escola de samba tradicional, envolvendo a opinião pública tão “ansiosa” por essa época do ano, as vésperas do Carnaval, só para fazer cumprir a lei (embora devesse fazê-lo a qualquer tempo, afinal, cumprir a lei é obrigação e não favor);
    Sugiro que o senhor tenha um pouco mais (ainda) de trabalho, caso considere a dica relevante: faça um vídeo quase que “institucional”, de mais ou menos 5 a 6 minutos, em Betacam, registrando a algazarra, o barulho (alugue um decibelímetro), as cenas de bebedeira e selvageria; grave também depoimentos de moradores do bairro descontentes com isso, cada um deles apontando o que mais lhes desagrada; abra espaço especial para os moradores mais antigos, com mais de 70 anos, pra que possam fazer comparações entre o Carnaval de outora e os problemas de hoje; emocione, mexa com a opinião pública; edite tudo muito bem “amarrado”, dinâmico, com trilha sonora, GCs deixando perguntas no ar, pra que se torne uma matéria jornalística; inclua os trechos/artigos/parágrafos da legislação que estão sendo desrespeitados; inclua depoimentos breves das outras categorias que o senhor cita como prejudicadas pelo cumprimento da lei: ambulantes, anunciantes e proprietearios de outdoor; entregue essa fita ao sr. Andrea Matarazzo e ao Gabinete da prefeitura, avisando que em 24 horas o senhor estará disponibilizando uma cópia pra cada uma das emissoras de TV veicularem; também publique no YouTube; Se possível, junte vídeos com frases célebres de nosso prefeito (lembra da cena no hospital.. “vagabundo, vagabundo”) em contraponto com as imagens de vadiagem que conseguir; relembre a repressão no show de rap na última Virada Cultural; mande cópia do áudio do filme para a Rádio Bandeirantes; comprometa a imagem das autoridades elegíveis nesse ano político, coloque por escrito/locucionado o nome de cada responsável pelo cumprimento da lei, e force-as a vir a público solucionar a questão, através da exposição dessa matéria em TV; duvido que ao mexer com a imagem pessoal dos administradores públicos, promotores, etc, eles não ajam eficazmente; se precisar de ajuda profissional, o sr. tem meu e-mail; Finalizando: gosto de samba, de festa; mas uma agremiação não pode ser maior que um bairro, uma cidade, uma população de bem.. parabéns pela iniciativa; o sr. é um homem de marketing, talvez valha a sugestão. Votos de boa sorte!

  17. Luis_Mairipa disse:

    É amigo, infelizmente não só São Paulo como nosso país inteiro é levado no samba, churrasco e cerveja…
    Difícil é para quem tem os hábitos um pouco diferentes e não gosta desse tipo de bagunça, já somos tachados de segregacionistas e racistas…
    Espero que um dia nosso país acorde, e não seja tarde demais…

  18. Maria Teresa disse:

    Em primeiro lugar gostaria de dar total apoio ao Marcelo contra a “escola de samba Vai-Vai” , acho um absurdo todo esse barulho moro na rua Barata Ribeiro, e é um barulho absurdo, e um total descaso das autoridades, cadê a “Cidade Limpa” ? cadê a mudança da escola para outro local?
    Em segundo lugar gostaria de dizer a Sra. Suzana que o que traz dinheiro para São Paulo são os milhões de trabalhadores que levantam cedo e dormen tarde para poderem trabalhar, pegar onibus, metro e trens lotados todos os dias, algumas dessas mesmas pessoas moram no bairro da Bela Vista e não podem descansar aos domingos, só pq faz 70 anos que uma escola de samba se instalou no bairro?
    Espero que o bom senso e a justiça aconteça para que possamos seguir em frente e ter esperança de que um dia nosso dinheiro será bem empregado.

  19. Ricardo Tadeu disse:

    Mesmo não sendo morador do bairro da Bela Vista fico sensibilizado com aqueles que convivem com um barulho infernal e são obrigados a aturar o descaso da prefeitura de São Paulo.
    São movimentos como esse que poderão dar um novo perfil para nossa cidade, não vamos perder a esperança.
    Que todos tenham em mente que o que ocorre hoje com os moradores da Bela Vista poderá ocorrer com quem reside em outro bairro, PORTANTO DEVEMOS NOS UNIR E COBRAR DA PREFEITURA AÇÕES QUE VALORIZEM PESSOAS DE BEM QUE MERECEM TER PAZ, PELO MENOS DENTRO DE CASA.

  20. Marcio disse:

    Olá a todos.
    Foi impossível não me ater ao blog e comentários, e apesar de “longe” de toda essa situação, e dessa forma, até certo ponto sem razão, gostaria de deixar meu comentário.
    Entendo e respeito a colocação do cidadão. Realmente não deve ser fácil para quem convive e não gosta dessa realidade tudo que um ensaio de escola de samba representa. E concordo também que não é o local ideal ( acho que até os membros da escola concordam com isso )
    Mas acho que o Carnaval produz muito mais que lixo e barulho… E vai muito além do patrocínio de bixeiros e traficantes. Para quem conhece um pouquinho e acompanha o Carnaval brasileiro, e escolas tradicionais como Vai Vai e Rosas aqui em sampa, Mangueira e Beija lá no Rio, para citar poucas, todo o cunho social e cultural que elas representam vão muito além do lixo e barulho. Falo aqui de qualidade de vida ( sim ! ), de senso de comunidade, de visibilidade e muito mais.
    Acho que seria muito interessante para a comunidade da Bela Vista ( e não a comunidade da Vai Vai que já faz isso… ) sentar, conversar e acolher essa escola como patrimônio cultural do bairro. ( Como já disseram aqui, são 70 anos, muito mais que muitos moradores ! ) Eu moro longe, fui algumas vezes, e sempre que vem algum amigo meu de fora do país ou outra cidade, faço questão de levar á quadra da Vai Vai, e apresento aquilo com muito orgulho, mesmo não me sentindo parte , infelizmente.
    Prezem pela escola, e busquem uma solução conjuntamente ! O que a escola apresenta no Anhembi todo ano, para milhares de pessoas, é muito mais, insisto, que barulho e lixo ! É cultura, história e tradição.

  21. celso disse:

    Maria teresa.

    a formula um não tras dinheiro para são paulo? o carnaval tambem tras. alias gostaria de ter numeros da insustria do carnaval para mostrar aqui. e continuo na luta, se alguem quiser me dar um imovel no bexiga, estou aqui esperando.

  22. celso disse:

    Turismo e eventos promovem o Carnaval durante o ano todo

    Projeto SP Samba criou um roteiro turístico com escolas de samba

    Grupo também investiu na geração de renda para as agremiações e os seus integrantes. Muitos produtos que eram importados hoje são comprados aqui.

    O Carnaval é uma das festas que mais movimenta os setores da economia e de empregos temporários em São Paulo. Estima-se que 50 mil turistas visitem a cidade este ano na semana do Carnaval. Pelo menos 20 mil irão assistir aos desfiles no Anhembi.

    Nos meses que antecedem o evento, ao todo, 25 mil empregos temporários e 52 setores da economia são movimentados na capital. De acordo com o presidente da Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo, Alexandre Marcelino Ferreira, o Carnaval paulista precisa receber mais investimentos para se igualar ao do Rio de Janeiro. “No Rio, as escolas recebem até R$ 2 milhões livres, fora o dinheiro arrecadado com shows e ensaios”, compara.

    Mas esse quadro de sazonalidade já está mudando. A indústria do Carnaval é capaz de gerar também negócios durante todo o ano. Um exemplo disso, é o projeto SP Samba, resultado de uma parceria entre o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP), a São Paulo Turismo (SPTuris) e a Liga das Escolas de Samba de São Paulo.

    A parceria surgiu com a finalidade de capacitar as agências de turismo para fazerem um tour do samba na capital paulista através do Programa de Desenvolvimento do Turismo Receptivo (PDTR). Com base nisso, a operadora Circuito São Paulo criou um roteiro com o G5, grupo que reúne as escolas Rosas de Ouro, Mocidade Alegre, X-9 Paulistana, Unidos de Vila Maria e Unidos do Peruche. O tour começa no Bar Brahma e segue para a quadra de uma das escolas. “O SP Samba é um projeto de parceria muito importante para a cidade, pois está também envolvendo o turismo. O projeto está recebendo uma média de 120 turistas por semana. Um público que talvez não tivesse iniciativa sozinho de visitar as quadras, mas amparado no projeto, ele acaba consumindo, participando e remunerando as escolas de samba participantes”, diz o assessor da presidência da SPturis, Luiz Sales.

    Geração de Renda

    Em 2003, a equipe do Escritório Regional Capital Norte do Sebrae- SP fez um levantamento da região e constatou que apenas na zona norte havia sete escolas de samba pertencentes ao Grupo Especial do Carnaval. A equipe investiu na geração de renda tanto para as escolas como para os seus integrantes. O Sebrae-SP iniciou a capacitação de carpinteiros, artesãos, soldadores e costureiras. “Foi possível inserir no mercado os produtos criados por eles. Também capacitamos fornecedores para as Escolas de Samba. Elas importavam produtos que hoje compram das pequenas e microempresas indicadas pelo Sebrae- SP”, disse o gerente do escritório, Mário Valsechi.

    Segundo ele, o Sebrae -SP também capacitou um criador de avestruz que não sabia aproveitar as penas do animal. “Hoje, ele fornece penas para os desfiles”.

    De acordo com a coordenadora do Projeto SP Samba, Camila Patrício, o estudo resultou também em três produtos focados em turismo e eventos. “O primeiro divulga o Samba Enredo das Escolas. O segundo leva a população para as quadras de samba e o terceiro realiza shows de Carnaval com uma banda formada por alguns integrantes de cada escola participante do G5, formando a sexta bateria”, informou Camila.

    Fonte: Diário do Comércio e Indústria (Caderno Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae-SP)
    Autor:

    Data de Publicação: 8/2/2007.

  23. Adriano disse:

    Parabéns Marcelo. São poucos os que efetivamente lutam por seus direitos. A confusão entre direitos, deveres e tradições é enorme em nossa cultura. O que é popular acabe sempre sendo rotulado de “coitadinho” e sendo assim merece tudo, menos os deveres que a vida em sociedade exige.
    Sou morador da região, já reclamei no Psiu e evidentemente como vc sabe o resutlado foi nulo tb… Liguei várias vezes para a escola e, como vc tb já bem sabe, muitas vezes eles deixam o telefone fora do gancho…
    Infelizmente somente agora soube dessa sua manifestação contra o descaso, se soubesse antes já teria participado e trabalhado em conjunto.
    Parabéns e boa sorte a todos os que lutam pela correta observação das leis. É a única maneira de alterar algo no país.

  24. Tentaculos disse:

    Eu penso que todas as pessoas devem lutar por aquilo que desejam ou esperam.
    da pra ver nas opiniões citadas que na verdade cada um coloca sua opinião e pouco sobre o problema real.
    O Sr. Nico deu a ideia mais direta apesar de colocar como balbúrdia uma festa tão linda… ele não deve saber o que é povo e suas manifestações populares ou o que é pertencer a uma agremiação que traz consigo a historia de um povo.
    não adianta eu daqui falar que fulano esta certo ou errado.
    Estou num local que sempre tem eventos e nem sempre é do meu gosto musical, mas acho que sociedade tem um pouco disso, mente aberta e respeito pelo gosto do outro.
    Agora eu penso que num ponto a Suzana tem razão… a escola esta la a muito tempo e creio que sempre fez samba… e dos bons… mas até ai o ouvido é de quem esta la… não da pra dizer que seja facil pra quem não gosta de samba ou de carnaval.
    Agora que existe neguinho que não sabe o que é evento tem de monte… do alto de sua poltrona e com o cajado chamado controle remoto acha que realmente sabe o que acontece.
    Espero que a situação se resolva sim e a escola tenha seu direito resguardado para proporcionar alegria e prazer aos que pouco tem.
    Mas que seja feita de uma forma que ninguem possa reclamar (judicialmente) … ou seja dentro de uma norma e que todos sejam felizes para sempre…
    Abraço a todos e fiquem na PAZ.

  25. Paulo disse:

    Prezada Suzana

    Impossível não te responder, moro hoje em um prédio na Consolação (aproximadamente 1 km da quadra do Vai-Vai) e neste momento (10/01 19:50 Hs) ouço o ensaio da escola, como quase todos os dias, e, por isto, sei que, principalmente nesta época do ano ele, se extende até altas horas. Há quarenta anos morava no Bixiga e já acompanhava a escola pela qual tenho grande carinho até hoje, então um bloco carnavalesco.

    Creio que por desconhecimento do passado do bairro e por ignorar o que hoje ele é haja uma certa confusão em sua cabeça. No passado reuniam-se amigos que desfilavam uma vez por ano, durante o dia e alegravam-se respeitando seus vizinhos. Hoje aglomeram-se poucos conhecidos e muitos desconhecidos, estranhos à região, Nada tenho contra a diversão alheia, mas atualmente trata-se de algo organizado em que os objetivos financeiros em muito superam o da simples diversão ou passatempo.

    Se diverte alguns e traz lucro a poucos, nada justifica que incomode a tantos e tão frequentemente.

    Quanto à sua idéia de que os incomodados que se mudem, acho ótima!!! Pelas suas contas são R$ 40 milhões, certo?? Pois entregue a eles que, tenho certeza, terão o maior prazer em mudar para os Jardins e deixar suas moradias a pessoas tão criativas como você.

    Por enquanto, grande abraço.

  26. Adilson disse:

    Acho justa e equilibrada a posição de se respeitar o cidadão, gostaria de sugerir que a Prefeitura estabelecesse uma agenda de utilização do Sambodromo para os ensaios, assim toda escola que pela sua localização prejudicasse o sossego dos moradores teriam uma opção para os ensaios.

    Lembrando que hoje as escolas são como dizia o samba “Super Escolas de Samba S.A. ” (Super alegorias…..escondendo gente bama..que covardia…)

    Saudações e continuem

  27. Julio Cesar disse:

    É por isso que nosso País não vai pra frente: jeitinho, impunidade, pessoas acima das leis. Quando isso mudar viveremos em uma sociedade mais digna e com certeza com menos desigualdade social.
    É muito fácil multar e ir pra cima de pobres, de cidadãos comuns…parece que cumprir a LEI é sempre mais fácil diante destes…
    Tudo é tão simples: cumpra-se a Lei. Quanto aos comentários do Thobias de que são apenas alguns chatos… podemos dizer que no caso deles são vários chatos e ainda chatos que descumprem a lei.

  28. Julio Cesar disse:

    Aliás, aproveitando, as luzes dos postes da cidade estão num número gigantesco, acesas dia e noite em várias localidades da cidade….e isso há mais de 30 dias ininterruptos…será que a eletricidade está isenta de cobrança? será que estamos enfrentando uma superprodução de energia e precisamos gastar?
    Se a Prefeitura não toma uma simples providencia que é desligar ou ajustar botões, imagina só enfrentar todo um possivel desgaste em ano de eleição peitando uma escola de samba e cumprindo a Lei.!

  29. Augusto Alckimin disse:

    Sou morador da Rua Manoel Dutra e quero parabeniza-lo pela iniciativa e dizer que embora apóie movimentos culturais, o nível de barulho e a bagunça que se tornam os eventos da Vai-Vai é absurdo!! Todos nós sabemos o que é vendido (sim, farinha ilegal) e que tipo de frequentadores temos nas redondezas, as brigas, furtos e outros problemas. Aliás pq não um slogan para as festas: “Venha para o Bexiga, estacione na rua e tenha seu carro furtado enquanto participa do movimento cultural da Vai-Vai”. Sugiro que se faça um movimento distribuindo para os moradores da redondeza protetores auriculares, para que, ao menos, não fiquemos todos surdos. Seria tão simples se a lei fosse respeitada, mas talvez a Vai-Vai se ache acima da lei…

  30. […] Prefeitura faz “vista grossa” e inferno continua O Brasil a caminho da segregação racial Denunciei as irregularidades e sou acusado de racismo pelo presidente da escola de samba Escola de samba ameaça a voltar a ensurdecer seus vizinhos Link para o vídeo denúncia […]

  31. Maria Teresa disse:

    Como fui citada, vou responder:
    1º) A questão não é financeira e sim de se cumprir a lei e manter a ordem na cidade de São Paulo, seja no Bairro da Bela Vista, Jardins ou qualquer outro local de São Paulo. Afinal somos cidadãos civilizados e temos regras para que todos possam viver bem em comunidade, e para isso aquela velha regra ainda vale: “O MEU DIRETO TERMINA QUANDO COMEÇA O SEU”.
    2º) As leis estão ai para serem cumpridas, e para isso não deveríamos ter que brigar tanto, afinal, para a maioria dos mortais (90% da população) a lei sempre é severa (ex: multas por cartazes, placas e panfletos funcionaram).
    3º) A pergunta é: a quem interessa que a Vai-Vai continue fazendo todo esse barulho e promovendo a bagunça, sem contar outras coisas bem piores que isso???
    4º) Quanto a Formula 1 ai vão os números ,e lembre-se, são apenas 03 dias de evento e num lugar apropriado. E sobre o carnaval o próprio Mauricio já informou no dia 04/01, faça as contas.
    fonte: Equipe InfoMoney 19/10/07 – 15h41
    “…Segundo a SPTuris (São Paulo Turismo), a expectativa é de que a cidade receba 85 mil turistas, que irão gerar faturamento de R$ 200 milhões às empresas e 14 mil novos postos de trabalho.

    “O GP Brasil de Fórmula 1 é o evento que mais traz receita com turismo para o município e movimenta 52 diferentes setores da economia local”, afirma o presidente da SPTuris, Caio Luiz de Carvalho.

    Na última edição do Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1, das 120 mil pessoas que circularam pelo autódromo nos três dias – entre treinos oficiais e corrida -, 25% eram turistas estrangeiros, 48% visitantes nacionais de fora da cidade e apenas 27% moradores de São Paulo, conforme revelou pesquisa da SPTuris. O gasto médio dos turistas é de R$ 615 por dia…”

    E por último me desculpem prolongar tanto, mas é que no Brasil a hipocrisia impera, e o pior disso é que a maioria acha que se o problema não “me atinge está tudo bem”.
    POR FAVOR, VAMOS SER CIDADÃOS, E FAZER DESTA CIDADE UM LUGAR ONDE POSSAMOS MORAR BEM EM QUALQUER BAIRRO, SEJA NA BELA VISTA, JARDINS, MORUMBI OU JARDIM ANGELA.

  32. MARCELA disse:

    ISSO AINDA VAI LONGE…
    OLHA O CARNAVAL AI GENTE…

  33. celso disse:

    oi gente, saudades das polemicas, ta devagar essa discussão.
    o pesssoal ja mudou do bexiga? brincadeirinha rs.

    se alguem que mora ai no bexiga mudar para interlagos, vai pedir a anulação das corridas? e se mudar para o aeroporto vai se juntar a leva de pessoas que querem tirar o aeroporto de ela? sera que as pessoas não sabem onde vão morar? sera que o aeroporto por ex, tem que sair porque pessoas mudaram-se para la….

  34. […] Kassab, escola de samba não respeita lacre e promove mais ensaios Prefeitura faz “vista grossa” e inferno continua Denunciei as irregularidades e sou acusado de racismo pelo presidente da escola de samba Escola de […]

  35. felipe disse:

    Opa sou de juiz de fora mg, e aqui temos uma situação semelhante a da escola de samba vai vai, acontece tudo oq acontece ai em são paulo so q o ano inteiro! alem da escola fechar rua, fazer ensaios ensurdecedores, promovem shows de setanejo todo final de semana, as autoridades aqui fazem a mesma coisa, ja denunciamos ao mp mais ate agora pouco foi feito…aqui acontece a mesma coisa so muda o nome da cidade juiz de fora e o nome da escola de samba unidos do ladeira…se alguem tiver alguma solução para esse problema entre em contato pois nois vizinhos da unidos do ladeira não suportamos mais…obrigado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: