Pai do Real, FHC falará em São Paulo nesta quinta-feira

fhc.jpg

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ministrará uma palestra gratuita nesta quinta-feira, 27 de março no auditório do hotel Crowne Plaza. O pai do plano Real que deu início a estabilização da economia brasileira e principal pensador político do país em atividade participará do evento organizado pelo Presidente Estadual do PSDB o Dep. Mendes Thame.

Esta dica foi enviada pelo blog Tucano Jovem e é uma excelente oportunidade de escutar experiências de quem governou o país por oito anos.

A palestra do ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso

Dia 27 de março
19:00h
Auditório do Hotel Crowne Plaza
Rua Frei Caneca, 1360 – 1º andar – Cerqueira Cezar – São Paulo

Informações no Diretório Estadual do PSDB. Fone. 11 3885-1551 / 3567-8408

Biografia

Fernando Henrique Cardoso foi Presidente da República do Brasil por dois mandatos consecutivos, de 1º de janeiro de 1995 a 1º de janeiro de 2003. É sociólogo, autor de vários livros sobre mudança social e os condicionantes políticos do desenvolvimento do Brasil e da América Latina.
Nasceu no Rio de Janeiro, em 18 de junho de 1931, de uma família de militares. Casado com a antropóloga Ruth Corrêa Leite Cardoso, têm três filhos.
Formou-se em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP), da qual se tornou professor em 1953. Engajado nas lutas pela melhoria do ensino público e pela modernização da universidade, foi perseguido depois do golpe de 1964. Viveu exilado no Chile e na França, pesquisando, escrevendo e lecionando. Voltou ao Brasil em 1968 e assumiu, por concurso público, a cátedra de Ciência Política da USP. Em 1969, foi aposentado compulsoriamente e teve seus direitos políticos cassados pelo Ato Institucional nº 5.
Para ficar no Brasil, criou em São Paulo, com outros professores e pesquisadores cassados, o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), que se tornaria um importante núcleo de pesquisa e reflexão sobre a realidade brasileira. Em palestras e artigos publicados em vários órgãos de imprensa, destacou-se como crítico do regime militar e defensor de uma transição pacífica para a democracia.
O político

Em 1974, a convite de Ulysses Guimarães, presidente do MDB, coordenou a elaboração da plataforma eleitoral do partido. Em 1978, concorreu ao Senado pelo MDB e se elegeu suplente de Franco Montoro. Em 1983, com a eleição de Montoro para o governo de São Paulo, assumiu sua vaga no Senado. Teve participação destacada na campanha das Diretas-já e na articulação da candidatura de Tancredo Neves à Presidência da República, em 1984.
Indicado por Tancredo líder do governo no Congresso Nacional, conduziu em nome do governo as mudanças na legislação eleitoral e partidária que abririam caminho para a democratização da vida política do país.
Em 1985, foi candidato a prefeito de São Paulo e perdeu por 30.000 votos para o ex-presidente Jânio Quadros. No ano seguinte, reelegeu-se para o Senado com 6 milhões de votos, a segunda maior votação no Estado numa eleição majoritária.
Foi líder do PMDB no Senado e um dos relatores do Congresso Constituinte de 1987/88. No fim de 1988, inconformado com a falta de definições do PMDB em relação ao governo do presidente José Sarney e a temas polêmicos da Constituinte, saiu do partido para fundar o PSDB ao lado de Mário Covas, Franco Montoro, José Serra e lideranças vindas de outras agremiações.
Depois do impeachment do presidente Fernando Collor de Mello, em outubro de 1992, assumiu o Ministério das Relações Exteriores do governo do presidente Itamar Franco. Em maio de 1993, atendendo a uma convocação do Presidente, mudou-se para o Ministério da Fazenda. A inflação beirava os 30% ao mês e temia-se a deterioração da situação política do país. Contra a opinião dos que só julgavam ser possível atacar a inflação depois da posse do próximo governo em 1995, conseguiu mobilizar uma maioria parlamentar e amplo apoio de opinião pública a favor do seu plano de estabilização, o Plano Real. Este incluiu medidas drásticas de controle do déficit público e uma reforma monetária que se completou com a entrada em circulação de uma nova moeda, o real, em julho de 1994.
Deixou o Ministério da Fazenda em abril de 1994 para assumir a candidatura à Presidência da República pela coligação PSDB-PFL-PTB. Foi eleito Presidente em 3 de outubro de 1994, em primeiro turno, sendo empossado em 1º de janeiro de 1995. Reeleito em 3 de outubro de 1998, também em primeiro turno, foi o primeiro presidente democraticamente eleito desde Juscelino Kubitschek (1956-1961) a completar seu mandato e transmitir o cargo a outro presidente democraticamente eleito.
O governante
Sua Presidência foi marcada pela consolidação da estabilidade econômica, por reformas na economia, previdência social e administração pública e pela democratização do acesso às políticas sociais.
Apesar das várias crises externas que impactaram a economia brasileira, a inflação se manteve baixa, na casa de um dígito por cento anual, e assim continua até o presente.
As reformas, embora limitadas pela forte oposição no Congresso Nacional, abriram caminho para a modernização da infra-estrutura econômica, com a abertura para investimentos privados nos setores de telecomunicações, energia elétrica, petróleo, transportes e mineração. A expansão do déficit previdenciário foi parcialmente contida. Criaram-se as bases constitucionais para regimes mais flexíveis de contratação e gestão de pessoal no setor público, incluindo processos de avaliação de desempenho.
Começou-se a corrigir o viés historicamente regressivo das políticas sociais no Brasil, que costumavam privilegiar camadas médias e altas em detrimento das maiorias mais carentes da população. O acesso ao ensino fundamental, ao atendimento básico de saúde e à previdência social foi praticamente universalizado. Os pequenos agricultores tiveram acesso amplo à terra e ao crédito. A assistência aos idosos e portadores de deficiência foi ampliada. Uma rede de proteção social garantiu transferências de renda a mães e crianças abaixo da linha de pobreza e estimulou sua freqüência à escola e à rede básica de saúde.
Pela evolução positiva dos indicadores sociais do Brasil em seu período de governo, recebeu das Nações Unidas, em 2002, o prêmio “Mahbub ul Haq por Notável Contribuição ao Desenvolvimento Humano”.
Rotuladas de “neoliberais” e duramente combatidas durante seu governo, suas políticas nas áreas econômica, social e institucional foram em linhas gerais mantidas pela oposição depois que assumiu o governo em 2003.
O intelectual
Além da Universidade de São Paulo, da qual é professor emérito, ensinou nas Universidades de Santiago do Chile; da Califórnia (Stanford e Berkeley), nos Estados Unidos; de Cambridge, na Inglaterra; de Paris-Nanterre, na École des Hautes Études en Sciences Sociales, e no Collège de France, na França. Desde 2003, é professor-at-large do Watson Institute for International Studies da Universidade de Brown, nos Estados Unidos.
Foi presidente da Associação Internacional de Sociologia (1982-1986). Doutor Honoris Causa de mais de 20 universidades das mais prestigiadas. Membro honorário estrangeiro da American Academy of Arts and Sciences.
Tem vários livros publicados no Brasil e no exterior. Entre os publicados no Brasil estão: A Arte da política: a história que vivi (2006); O Presidente Segundo o Sociólogo, entrevista a Roberto Pompeu (1998); O Mundo em Português, um diálogo com Mário Soares (1998); A Construção da Democracia (1993); Dependência e Desenvolvimento na América Latina, com Enzo Faletto (1969, reeditado em 2004); Capitalismo e Escravidão no Brasil Meridional: o negro na sociedade escravocrata do Rio Grande do Sul (1962, reeditado em 2003). Entre os publicados no exterior, o mais recente é The Accidental President of Brazil (2006).
O conjunto dos seus pronunciamentos e discursos, quando presidente da República, Palavra do Presidente, foi publicado em dezesseis volumes pela Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Brasília, 2002).
Tem artigos em revistas de vários países. No Brasil, colaborou nas revistas Anhembi, na Revista Brasiliense, Novos Estudos Cebrap e Revista USP, entre outras.
Em 2005, foi eleito um dos 100 maiores intelectuais públicos do mundo, em levantamento da revista britânica Prospect.

Fonte da Biografia: IFH

Veja mais:
Ministra Marta e marido argentino dão “carteirada” e se recusam a passar por revista em aeroporto
Conheça as FARC, a nova causa de Hugo Chávez, o amigo do nosso presidente
O Brasil a caminho da segregação racial.
o
baner_in.gif

9 Responses to Pai do Real, FHC falará em São Paulo nesta quinta-feira

  1. joserubens disse:

    Parabéns aos redatores!
    FHC é um ícone, não só do PSDB, mas de todo o país.

    JOSE RUBENS DOMINGUES FILHO
    Presidente Municipal da JPSDB de SP

  2. Celso de Lima disse:

    Gostaria de saber como faço para me inscrever e qual é o custo,
    Grato,
    Celso de Lima = Economista

  3. ANA MARIA CHINCHILA disse:

    Gostaria de saber como adquiri o convite para assistir essa palestra e qual o custo

  4. top30 disse:

    É triste ver pessoas mal informadas. quem criou o Real foi o Itamar.
    E se procurarem se informar vão ver que o “grandeFHC” pode ser processado por isso. E este é um dos motivos. Procurem no google. la tem informacoes sobre um dos maiores ladroes da historia desse pais. Um corrupto que só nao vendeu a mulher por que nao deu tempo. Um bandido que acabou afundou ainda mais esse pais que ja estava a beira do pricipicio por causa dessese vermes do PSDB e do PFL(hoje DEM).
    perguntem aos seus pais o quanto era dificil comprar as coisas. hoje graças a ESSE GOVERNO qualquer um pode pensar numa casa, num carro e projetar seus sonhos, conquistas. Eu ainda estou querendo saber quem inventou esse boato de o FHC é inteligente. Prestem atenção nas suas entrevistas e verão que a cada esquina tem uma pessoa com a capacidade e inteligencia dele. UM PAU MANDADO sem opiniao formada e que a cada vez que abre a boca ajuda o governo ataual e é reprimido pelo proprio partido. Eu acho que deveriam internar ele… por que ele tem um problema serio de pensamentos e distorção das coisas… Umverdadeiro DOENTE MENTAL

  5. top30 disse:

    Cara. Entrei no site dos tucanos Jovens.
    MEU DEUS. Quanta Besteira.
    O Site deveria ser processado por propaganda enganosa. Mas como é de jovens e hoje em dia os jovesn nao tem opiniao formada, nao procuram se informar, esperam a revsita veja o Folha de SP, o GLOBO Ou assistem a GLOBO,,, por que buscar informações sobre a verdade se essas midias manipulam as informações para que pessoas desprovidas da capacidade raciocinar usem dela sem questionar.
    E por falar em GLOBO, Vcs sabem por que ela é contra o governo? Por que o LULA nao quer dar alguns BILHOES pra pagar suas dividas. Esses BILHOES é dinheiro nosso que se a glogo pegar, nunca mais vai precisar pagar. E sabem por que? por que esse tal de partidozinho chamado PSDB tentou aprovar a liberacao da verab mas o governo nao cedeu.

  6. freelando disse:

    Gostaria muito de ir a esse evento. Estou tentando ligar para os números informados e ninguém atende. Como faço para conseguir convite?

  7. Gilberto de Assis Barbosa dos Santos disse:

    Parece-me que o sociólogo é sempre confundido com o político, ou seja, FHC deu uma importante contribuição ao Brasil enquanto presidente da República e em virtude disso suas opiniões na condição de cientista social é sempre deturpada pelo grupo que se encontra no poder. Como ele já frisou, não é político profissional, mas sim um ex-presidente que é cientista social. Parece-me que o pessoal, que outrora ocupava as fileiras da esquerda precisam saber disso.

  8. oseas basette ribeiro disse:

    Quase todos que acompanhao política sebe que o prof. Fernado Henrique foi o responsável por este plano que deu certo,e graças à Deus o barbudinho nao modificou tanto.
    Agora eu nao entendo porque quem tanto reclamou dos palpiteiros esta sempre dando declaraçoes polêmicas, adoro o prof. mas deixa a oposiçao pra quem está nos plenários.
    Abraços.

  9. jorge oba disse:

    INFELIZMENTE É INFELIZ E MENTE , O EX PRESIDENTE FERNADO HENRIQUE
    ENGANOU OS NEGROS ,EM OITO ANOS OS NEGROS FICARAM EM BRANCO O MELHOR AS COISAS FICARM PRETAS. E SUA ESPOSA FOI CONTRA A VINDA DA LORETA KING ESPOSA DE MARTIR L. KING E ROSA PARKESPARA RECEBER A MEDALHA DE HONRA ZUMBI DOS PALMARES UMA SOLICITAÇÃO DOS MOVIMENTOS NEGROS E HOJE AMESMA LIDERA UMA LISTA 113 NOMES CONTRA AS COTAS EDUCATIVAS, A PEDIDO DA REDE GLOBO ALIAS TV GLOBO E FHC TEM TUDO HAVER. VAMOS PAGAR OS BILHÕES DE DOLARES DO PLIN-PLIN E DO NHE-NHE DE NOVO CUIDADO QUE AGENTE SE PODE VER DE NOVO NA GLOBO BOBO Ó POVO STOP,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: