Médico esquartejador já cuidou da mulher de Lula.

Para provar que o ex-médico Farah Jorge Farah era um cirurgião plástico conceituado em São Paulo, sua defesa levou uma testemunha que confirmou que ele já teve como paciente a atual primeira-dama, Marisa Letícia. O ex-médico começou a ser julgado ontem (15) pelo assassinato, seguido de esquartejamento, da paciente e ex-namorada Maria do Carmo Alves em 2003.

Os advogados levaram para prestar depoimento Rosangela, uma das secretárias de Farah que trabalhava em sua clínica, na zona norte da cidade, na época do crime.

Questionada pela defesa se o ex-médico era famoso e reconhecido Rosângela respondeu que “era”. “Lembro de uma vez que pessoas do exterior vieram para operar com ele”. A defesa então perguntou: “a senhora se lembra que ele operou a atual primeira-dama?” Rosangela respondeu: “sim, operou”.

Além de Rosangela, também foram ouvidas nesta quarta-feira ex-pacientes de Farah que afirmaram que sofreram abusos sexuais do ex-cirurgião enquanto estavam sedadas devido a procedimentos cirúrgicos.

Maria do Carmo foi morta no consultório de Farah, em Santana (zona nort ede SP). Em novembro de 2006, o Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) cassou a licença para o exercício de medicina do cirurgião. Em maio de 2007, Farah conseguiu liberdade provisória.

Farah usou um bisturi e pinças para dissecar o corpo da mulher e retirar a pele de parte do rosto, tórax e pontas dos dedos das mãos e pés. Ontem, em interrogatório, o ex-cirurgião disse que era ameaçado pela vítima e afirmou não lembrar do momento do crime.

Farah é condenado a 13 anos de prisão

O ex-cirurgião plástico Farah Jorge Farah foi condenado nesta quinta-feira (17) a 13 anos de prisão pela morte e pelo esquartejamento de sua ex-paciente e ex-amante Maria do Carmo Alves. O crime ocorreu em 2003. Por causa de um habeas corpus preventivo protocolado no Supremo Tribunal Federal, ele vai aguardar em liberdade até que se esgotem os recursos em instâncias superiores.

“Vamos recorrer, temos um habeas corpus pedindo a nulidade do Supremo. Os peritos foram ouvidos antes das testemunhas, para mim isso é uma novidade”, disse o advogado Roberto Podval. “Achei a pena boa, estamos na metade do caminho, há uma longa estrada a ser percorrida. A defesa não está satisfeita, sempre acha que poderia ser melhor”, completou.

“Achei que a pena fixada foi amena”, disse o promotor Alexandre Marcos Pereira. Na terça-feira (15), primeiro dia do julgamento, o ex-cirurgião disse que havia ‘surtado’ após brigar com a paciente no dia do assassinato. Apesar disso, ele afirmou que não se lembrava de tudo o que aconteceu no dia.

Além dos 13 anos de prisão, Farah foi condenado pagar um terço do salário-mínimo de multa pelo crime de ocultação de cadáver.

Quase unânime

Ao todo, os sete jurados, sendo cinco mulheres e dois homens, analisaram 25 quesitos, 17 referentes à acusação de homicídio duplamente qualificado (com motivo torpe) e outros oito relacionados à acusação de ocultação de cadáver. Em apenas um deles a decisão não foi unânime.

Antes que se reunisse, o júri acompanhou a parte final dos debates, com meia hora de réplica para o promotor e mais meia hora para a tréplica do defensor.

Em sua réplica, o promotor declarou que se o júri levar em consideração a tese de semi-imputabilidade do acusado no momento do crime, defendida pela defesa, “será praticamente uma absolvição”. “Ele fez o que fez (matou e dissecou o corpo de Maria do Carmo, sua paciente e amante, em 23 de janeiro de 2003) e vai sair daqui e fazer terapia? Não dá para aceitar isso”, afirmou.

Já a defesa insistiu para que o réu seja julgado exclusivamente pelo crime que cometeu, que seria o homicídio, com todos os atenuantes referentes a esta acusação, como o da legítima defesa, e que levem em conta o fato de ele ter sido levado a um suposto descontrole emocional devido ao assédio da vítima na ocasião.

Fonte: Folha OnLine e G1

Blogs Amigos:
NAMONEURA Desabafos de uma namorada normal. Anormal são vocês!
PERGUNTE AO URSO Tudo aquilo que você não sabia para quem perguntar
CLUBE DO LAR Pensou em casa, já está nele
YAMAAI O melhor restaurante japonês da Vila Olímpia
TUCANOJOVEM Juventude do PSDB – Capital SP

2 Responses to Médico esquartejador já cuidou da mulher de Lula.

  1. Gilberto Krutman disse:

    Legitima defesa? Qual foi a arma que a vitima usava na ocasião do crime? Assédio sexual?//
    Esse cara é um estrupador e merece ser condenado pelo crime hediondo que cometeu.

  2. MARCELO disse:

    Se esse assassino só pegou essa pena e, vai aguardar até o término do recursos em liberdade, é porque a lei permite, cade aqueles políticos(tão assassinos quanto o Farah), para mudar a lei, não mudam (e nem querem mudar) porque tem medo de serem pegos pois também tem o “rabo” preso. Se vc meu caro leitor tem algum parente e/ou amigo político, pode dizer a ele que o brasileiro (indignado)Marcelo Cardoso, o chamou de safado, desculpe mas é a pura verdade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: