A morte de Isabella poderia ter sido evitada?

Temos recebido inúmeros e-mails no Observatório da Infância sobre a evolução das investigações para esclarecimento da morte da menina Isabella. Todos estão revoltados com o já comprovado assassinato de Isabella e querem dar suas opiniões. Um e-mail chamou a minha atenção, porque fala de prevenção. A morte de Isabella poderia ter sido evitada? Eu, pessoalmente, acredito que sim. É o que também pensa Sirlene Costa, que está criando a Biblioteca Infantil Gratuita. Ela nos enviou um e-mail, do qual reproduzimos trechos, no interior desta matéria. Assista também a entrevista do Dr. Lauro Monteiro no Programa Mais Você, apresentado por Ana Maria Braga.

“(…) Percebemos, com muita tristeza, o crescente abandono, desrespeito e violência contra muitos meninos e meninas brasileiras, que estão gritando por socorro. Um grito angustiado, em desespero. Silenciado pela omissão, maldade ou ignorância, dentro de muitos lares. (…)Sinto que grandes números de casos de violência com nossas crianças poderiam ser evitados. Com, principalmente, amor, atenção, mas também pela informação e sempre que necessária a denúncia preventiva. No caso Isabella, por exemplo, se for realmente comprovada a participação do pai e da madrasta. Não creio que possa ter havido, por parte de um deles ou ambos, apenas um momento de fúria ou descontrole emocional, o que, de qualquer forma, não justificaria tanta covardia e crueldade. A participação comprovada de ambos ou de um deles mostrará algo muito maior que a mídia denuncia, mas que deveria ser posto em reflexão, como orientação para toda a população.

A criança sempre irá, de alguma forma, sinalizar que algo não vai bem com ela, seja na mudança de comportamento, em seu emocional, em marcas físicas, etc. (…)

Creio que havia antecedentes de agressões físicas ou psicológicas e, no mínimo, constrangimentos contra esta menina (Isabella), que certamente foram observados por pessoas próximas ou pela própria mãe, mas talvez considerados dentro do “direito” da autoridade do pai ou da madrasta. (…)

Muitos pais ou “responsáveis”, têm um comportamento desequilibrado, por vícios, frustrações diversas ou mesmo problemas psiquiátricos e nossas crianças têm sido “os pára-raios” destes insanos, inaptos para serem os responsáveis ou para exercerem o direito da maternidade e paternidade, por lhes faltar paciência, dedicação e principalmente amor por suas crianças. Quem tem sanidade mental e ama uma criança não a humilha, a agride, a abandona ou mata. (…)

A denúncia preventiva, Dr. Lauro, em meu entender é aquela que pode salvar uma vida, ou melhor, muitas vidas ou no mínimo evitar que o agressor continue causando danos psicológicos na criança. A criança que sofre qualquer tipo de violência e não recebe o amparo e defesa, dificilmente será um adulto harmonizado e feliz.

Somos responsáveis por todas as crianças. As nossas, os sobrinhos, netos, as que moram ao lado, na outra rua, em nossa cidade… DENUNCIAR É UM ATO DE AMOR.”

Sirlene tem toda razão. Não há dúvidas sobre o fato de ser a prevenção a melhor forma de garantir a saúde física e emocional de uma criança. Qualquer forma de maus-tratos, sejam eles físicos, psicológicos, sexuais, ou a negligência, devem ser denunciados. (Ilustração: Gian Calvi)

Infelizmente, ainda há muitas providências a serem tomadas para que a prevenção de situações como a de Isabella sejam evitadas, através da participação de todos.

Valorizo, em primeiro lugar, a aceitação por toda a população, que crianças podem e têm que ser educadas com limites bem estabelecidos, mas sem a aplicação de qualquer forma de violência, mesmo as aparentemente inofensivas palmadas, ou os gritos, ou a desvalorização de uma criança.

Em segundo lugar, é necessário uma eficaz estrutura para receber as denúncias e com elas lidar, sem preconceito, sem pré-julgamento, entendendo que hábitos e comportamentos são difíceis de serem mudados, mas devemos entender sempre que as providências para a proteção de uma criança devem ser tomadas de forma urgente, independente de questões culturais ou das condições sociais e econômicas dos pais ou responsáveis.

Tudo começa com a indispensável denúncia. Dirão muitos que as denúncias poderão ser infundadas e que injustiças serão cometidas. Talvez digam outros que não podemos criar um clima histérico de denúncias. Tudo isso pode ser verdade, e foi talvez o que ocorreu em países que já passaram da fase da negação da violência de pais contra filhos para a aceitação da realidade. Passaram, então, a denunciar e proteger suas crianças e adolescentes. O caminho é esse. De outra forma, muitas Isabellas continuarão a ser vitimizadas, às vezes, até à morte.

Um sistema de recebimento de de denúncias de maus-tratos contra crianças deve assumir antes de tudo o dever de esclarecer a população com linguagem fácil e acessível a todos, sobre a importância da prevenção da violência na família.

Independente da confirmação do que parece óbvio, que os assassinos de Isabella são a madrasta e o próprio pai, as investigações policiais mostraram que a violência interpessoal já era comum na família. Nos últimos anos, por duas vezes, a madrasta de Isabella denunciou em um distrito policial seu próprio pai, por ameaças e atos violentos contra ela. Foi evidenciado também que Isabella chegava da casa do pai com algumas marcar arroxeadas, que podem ser indícios de maus-tratos. O irmão menor de Isabella teria sido deixado cair ao chão pelo pai. Alexandre, o pai de Isabella, ameaçou de morte a avó materna da menina por motivo fútil. Os vizinhos afirmam ter ouvido, no dia do crime, discussões acaloradas com muitos palavrões, entre o casal, e Isabella gritando: “Pára, pára, pai…” Teria sido a primeira vez que Isabella gritou? Acho que não.

Acredito que, se houvesse o hábito da denúncia por membros da própria família ou vizinhos, como ocorrem em muitos países, Isabella teria sido salva. Se houvesse no Brasil uma Child Line para a própria criança ou adolescente falar sobre seu sofrimento, Isabella teria sido salva. A única Child Line brasileira filiada a Child Help Line Internacional foi criada e desenvolvida pela Associação Brasileira Multiprofissional de Proteção à Infância e Adolescência (ABRAPIA) em 2005. Funcionou durante dois anos com o nome de Telefone da Criança e do Adolescente (TECA), tendo encerrado suas atividades por falta de apoio financeiro em janeiro de 2006.

Mas é necessário lembrar um fato óbvio. De nada adianta denunciar se o informante não puder constatar que providências foram tomadas.

Com o conhecimento de todos os fatos que as investigações policiais têm evidenciado, penso, sim, que a morte de Isabella poderia ter sido evitada.

Texto de Lauro Monteiro
Editor do Observatório da Infância

Veja mais:
Perito diz que sangue no carro era de Isabella e justiça nega habeas copus ao casal
Até presas do carandiru prestam homenagem a Isabella Nardoni
Qual é o motivo da demora na resolução do caso Isabella?
Caso Isabella: tudo o que a justiça tentou esconder

 

13 Responses to A morte de Isabella poderia ter sido evitada?

  1. Renata disse:

    Infelizmente ninguém nunca entenderá a natureza humana. No mundo animal isso não acontece, ao menos não por pura maldade. O ser humano é capaz de coisas que “a própria razão desconhece” e o mal está cada vez mais difundido e enrraizado. É uma pena.

  2. Luciene disse:

    é um fato lamentável a morte da Isabela. Vemos a destruição dessa família, que na real a morte da menina foi a “gota d’agua”. nota-se que havia clima de inimizades, ciumes, intolerância. São sentimentos ruins que não foram trabalhados e foram sendo praticados como normais que aí teve sua normalidade no ato final, a morte da Isabela. Uma mãe que não se preocupava em saber como estava a filha na casa do pai, não havia diálogo, ela só conversava com o avô da menina. Já que como ela mesma disse que nunca conversava com o pai da menina, então que fosse ao juiz pra denunciar os motivos aos quais ela não conseguia ter um bom relacionamento com o pai da menina e aí as providências poderiam ter sido tomadas. Pra mim ouve negligência, falta de entendimento. Afinal se uma pessoa tem uma conduta violenta, eu lutaria para jamais deixar minha filha nas mãos desse bandido.

  3. ana oliveira disse:

    Uma criança, um ser indefeso, um anjo! Como podemos nós adultos seres que devemos cuidar, proteger, ama-los agirmos como bárbaros, sim bárbaros , pois não há o que dizer desse pai. PAI ? Perdoe-me os verdadeiros pais, mas esse da ISABELA não merece esse Titulo.

  4. Beatriz disse:

    Isso que aconteceu e uma tragédia, como confiarnos quando o pais se separam, isso serve para ambos em quem confiarmos no pai ou mae.

  5. Eliene disse:

    Infelizmente não sabemos, foi uma tragédia que abalou o país inteiro, para saber se poderia ter sido evitada, teriamos que entender o que passa na cabeça de ser humano…coisa, que acho que seja impossivel !! O quê na cabeça de um “pai”, para cometer tal atracidade com a própria filha, não tem uma razão sensata…
    Acho que estamos chegando ao fim dos tempos, cada coisa que acontece, que cada dia que passa começo a ter medo do ser humano, se é que podemos chamar essa pessoas que tem coragem de tirar a vida de seus próprios semelhantes (ainda mais de uma criança) sem uma razão !! =S

  6. Isabela!…que pena uma menina tão bonita, tão pura, ter que acabar de uma forma brutal e de tel maneira!…!!!
    Este cara que se diz: o pai, ele jamais a mereceu como filha, ele é um psicopata e como tal tem um pai ( o avô paterno da Isabela) que é a sua marca registrada, pois acoberta-o com as maldades e as demências que lhe são peculiar.
    Seria incomum se este tal de Nardone (pai da Isabela), agisse de forma diferente!
    Este caso já tomou formas diversas, mais ainda vai dar muitas voltas e seria maldade se estes monstros que acabaram com a vida desta inocente, não apodrecessem na clausura ou cadeia…que é o que eles merecem! (justiça seja feita)!

  7. A.Gomes disse:

    Poderia sim, se o próprio pai de Isabella não a tivesse jogado pela janela, simulando descaradamente que um crime hediondo como este, tenha sido praticado por uma terceira pessoa. Tudo porque, com o intuito de acobertar uma violência cometida pela madrasta, resolveu consumar o fato, em vez de socorrer sua filha que ainda estava com vida. O mais repugnante é a frieza, o descaso total com a vida humana, principalmente em se tratando de sua própria filha, dizendo que era uma “norma da família Nardoni” em primeiro comunicar os pais para depois serem tomadas outras providências. Muito estranho! as duas familias adotarem esse mesmo esquema não? A mesma coisa também dita pelo avô paterno da menina Isabella. Tudo ensaiado, lógicamente orientados pela defesa. Porque não acabar com essa farsa? Até onde vão manter essa hipocrisia, dizendo ser inocentes? Até mesmo os pais do dois monstros inventando essas “estorinhas” diante das câmeras de TV, que a gente está vendo que não passam de mentiras deslavadas. Se não houver a justiça dos homens, com certeza haverá a justiça Divina, pois esses monstros já estão condenados pelo resto de suas vidas.

  8. ana maria disse:

    a mae de isabella e a maior culpada, eu a condenaria a 30 anos de solidao com uma foto da menina nas maos, e as marca de aviso ( beliscoes etc..) ai nao a vitima apenas 1 menina morta.

  9. Eneias /campolimpo paulista disse:

    proverbios 22:06 diz ensina a criança no caminho em que deve andar e quando ficar velho nao se desviara dele , senhor antonio nardoni falhou em sua criaçao a seu filho nao é dando tudo que a criançaaprende mas dando a medida é que ela vai aprender a pesar , temos muitos pais criando delinquentes futuros que poderão cometer crimes piores por tanto fica a dica uma familia feliz precisa de DEUS , isabela nao volta mais agora so nos resta pedir a DEUS que tenha misericordia do casal pois na BIBLIA ESTA ESCRITO OS HOMICIDAS NAO TERA O REINO DOS CEUS se nao se arrependerem DEUS ABENÇOE A TODOS

  10. Mazé Loiola disse:

    A VIOLÊNCIA é geral e tem muitas faces. Além da violência da guerra, há violência nos esportes, no tráfico das drogas, nas gangues, nas escolas e no trabalho, bem como na diversão. Até mesmo a violência doméstica é comum em muitas famílias. Um estudo recente indicou que no Canadá, por exemplo, 1,2 milhão de pessoas foram agredidas violentamente pelos seus próprios cônjuges, pelo menos uma vez, num recente período de cinco anos. Outro estudo concluiu que cerca de 50% dos homens que espancam a esposa espancam também os filhos. Isso é lamentável. O ser humano precisa urgentemente resgatar valores como o respeito, a fraternidade, o amor e especialmente o temos a Deus. Mazé Tauá-CE.

  11. Geraldo Gomes disse:

    Sim.E de muitas outras crianças e de pessoas que não são divulgadas pelos veiculos de comunicação.Porém somos incapazes de renunciarmos e repudiarmos os “meios” que fazem com que o “espírito”da violência alimente-se e floresça.O caso Isabella e muitos outros é o efeito das nossas ações,mas quem tem coragem para assumilas?Sou capaz de mostrar-lhes as minhas e as vossas violências,São capazes de mostrarem-me vossa paz?O que estão fazendo para que tragédias iguais a essa não mais se repitam?Conhecem algum homem ou mulher que não seja violento?Conhecem algum local habitado por seres humanos e que não haja violência?Poderiam me dizer quantos tipos de violência existem no planeta terra?Poderiam mostrar-me um ser humano reclamante da violência e que não cometa o que reclama?E etc.etc.etc.Gente,por favor! Vamos acordar!Vamos deixarmos de mostrarmos o que não somos!Vamos “enxergarmos” a causa dessas tragédias diante dos nossos próprios espelhos!Vamos acoooooordaaaaaar.A violência é uma indústria fabricada pelos seres humanos que gera lucros e que proporciona felicidades.O que você está fazendo para que não haja violência no planeta terra?Se alguém desejar mais informações sobre nossas violências acessem:[www.geraldo-gomes.blogspot.com]Depois de conhecerem todo conteúdo do mesmo,espero que compreendam de que nada estamos fazendo para o desativamento e o desarmamento da arma mais letal e destrutiva do planeta terra[o ser humanos].Muitas coisas boas para todos e boa noite.

  12. Duda Moraes disse:

    Bom, o que está feito não tem retorno. Isabela está morta, mas essa morte serviu pra abrir um leque de discurssões sobre o assunto “violencia contra crianças”. Sei que algumas maes tem uma percepção muito aguçada. Ela consegue ver coisas que outras pessoas não conseguem. A mae da Isabela deveria ter solicitado ao juiz da infancia e adolescencia que o pai (Alexandre) a visitasse somente com a presença de um parente proximo da menina, mas do lado da mãe, pois a Ana Carolina sabe como é o comportamento do pai e isso era o bastante para não entregar a garota para que ele a levasse pra sua casa. Sabe gente, mae de verdade é um ser maravilhoso, devido ao amor incondicional que elas exalam , porém pai só se sente pai de verdade quando o bebé sai da barriga da mae, e isso não acontece com todos os homens, pois alguns são tão egoistas que não tem amor pelos filhos. É uma pena, mas é a grande verdade.
    Quanto a madrasta, não dava pra Ana Carolina(mãe) perceber seu comportamento, mas devido ao ciume exagerado da mesma era mais um motivo pra não deixar Isabela ir na casa deles (pai e madrasta). Na verdade aquela moça (madrasta) tem olhos de pessoa desequilibrada, possessiva e má. Não é uma doente mental, mas gosta de manipular as pessoas e o Alexadre era manipulado por ela, pois ela tem o genio mais forte que o dele. Voce sabe o poder que a influencia tem na mente das pessoas? Pois é, imagine voce todos os dias sendo influenciado a fazer algo, voce de tanto ouvir a informação, acaba por executar a ação, as vezes sem perceber.

  13. kelly disse:

    apesar de não ter mais geito de voltar atraz ainda nos perguntamos, pq a mae de isabela deixava ela ir para a casa do pai? acredito que se ele maltratava a menina e a madrasta tb ela deveria notar pois mae é mae , eu tenho uma filha de 1 a nove meses dou casada não tenho esse problema graças a Deus pois nos nos relacionamos muito bem mais se eu fosse separada e o pai de minha filha levase ela para casa dele que la ele tem outra familia jamais eu deixaria de vijiar a minha filha saber todos os passos dela todas as veses que ela voltase eu ia fazer varias perguntas a ela e tb ate ser proxima de alguma maneira para que de algum jeito estive se vijiando ela e quanto mais que a mae de isabela falou que ele era agrecivo eu nao entendo pois ela tb tem culpa nao so ela como todos da familia vamos refletir pois criança nao pe brincadeira nao é uma boneca que quando voce que brinca voce pega ela e quando voce nao que deixa ela la no canto criança tem centimentos e precentimentos que isso serva de lição para muitas mâes e páis a palavra de Deus ( deixe vim ate a mim as criançinhas pois dela é o reino de Deus) faça a sua parte denuncie para que nao aconteça com outras crinças o que aconteceu com isabela e muitas outras crinças…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: