A volta dos tijolões. O celular engordou!

Dez anos atrás, quando comprou seu primeiro celular, a publicitária Ligia Kempfer saiu da loja com um tijolão de 15 centímetros de comprimento. A tela era pequena, o visor não era colorido, a bateria não durava quase nada, era preciso puxar a antena para ele pegar melhor e, pior de tudo, era pesadão. Ocupava muito espaço na bolsa e não cabia no bolso de nenhuma das calças. Mas a praticidade de ter um telefone celular fazia todo mundo esquecer os inconvenientes. Com o tempo, os aparelhos diminuíram e acumularam funções. A mudança do sistema analógico para o digital permitiu a troca de mensagens de texto. Depois vieram as câmeras e os tocadores de música. Em seguida, a internet e os e-mails.

Com tantas funções, os celulares reverteram o processo de encolhimento e voltaram a crescer. Estão mais largos e maiores. Estamos voltando aos tijolões? Aquele pesadelo de não conseguir colocá-lo no bolso da calça nem no bolsinho para celular das bolsas está de volta? O tamanho dos celulares inteligentes tem feito muita gente pensar duas vezes antes de trocar um pequenininho por um quadradão.

Ligia está em seu sexto aparelho. Nos últimos anos, o tamanho de seus celulares diminuiu consideravelmente. Chegou a um com pouco mais de 8 centímetros de comprimento, bem levinho. Mas há cinco meses usa um celular com teclado completo (chamado de Qwerty), câmera, internet e músicas. “Gosto dele. Não consigo mais imaginar voltar ao antigo”, diz. Ela usa o aparelho para trabalhar e aproveita a câmera para gravar cenas cotidianas para mostrar à filha Júlia, de 2 anos.

Aliar trabalho com vida pessoal num único aparelho é um dos argumentos destacados pelos fabricantes, ainda que eles sejam maiores e às vezes mais pesados. “O ‘peso–benefício’ está melhor. As vantagens são tão grandes que as pessoas abrem mão de um telefone pequeno”, afirma o diretor de desenvolvimento de terminais da operadora Vivo, Hilton Mendes. O tamanho maior dos celulares é resultado de dois fatores: tela e teclado. Afinal, de que adianta um celular com uma ótima câmera e uma telinha que não permite ver nada? Ou um com teclado que nos faça errar na hora de digitar? Os fabricantes estão otimistas com o crescimento das vendas. Os celulares com múltiplas funções representam 6% do total – só no ano passado, foi vendido 1,2 milhão deles. “A expectativa para 2011 é que eles cheguem a 25% do mercado mundial”, afirma o gerente de produtos de telefonia móvel da Motorola, Henrique Freitas. Talvez as lojas de roupas comecem a vender calças com bolsos maiores.

Fonte: Época

Clique aqui e receba as atualizações do In Blog por e-mail

rss_3

O In Blog envia até 3 e-mails com suas atualizações por semana, clique aqui, coloque seu e-mail e passe a receber nosso newsletter.

Blogs Amigos:
PULSO Internet de qualidade
NAMONEURA Desabafos de uma namorada normal. Anormal são vocês!
PERGUNTE AO URSO Tudo aquilo que você não sabia para quem perguntar
CLUBE DO LAR Pensou em casa, já está nele
TUCANOJOVEM Juventude do PSDB – Capital SP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: