Ex-chefe da casa civil de FHC diz que Alckmin é candidato para satisfazer ambição pessoal

Clóvis Carvalho, ministro-chefe da Casa Civil do governo FHC concedeu uma entrevista à Renata Lo Prete, sobre a disputa entre Gilberto Kassab e Geraldo Alckmin pela prefeitura de São Paulo.

O PSDB tem um candidato a prefeito e, ao mesmo tempo, comanda a prefeitura em aliança com um candidato de outro partido. A situação é de guerra campal. Havia como evitá-la?
CLÓVIS CARVALHO – O PSDB tem a obrigação moral de defender esta administração, que é sua. Secretaria de Governo, Planejamento, Saúde, Educação, Participação, Segurança, Esporte, Assistência Social… todas nas mãos de tucanos que estão fazendo um governo essencialmente tucano.
De repente, chega alguém do partido, que foi governador em aliança com o DEM, candidato a presidente com vice do DEM, que participou da negociação para constituir a chapa Serra-Kassab, que defendeu o Kassab.
De repente, esse alguém diz “eu quero ser candidato porque… eu quero ser candidato”. Só posso entender como uma postura personalista do Geraldo.

Alckmin argumentou que seria absurdo o PSDB não ter candidato próprio em São Paulo.
CARVALHO – O interesse público deve prevalecer sobre o partidário. Nós estamos no poder. Não faz sentido a candidatura do Geraldo exclusivamente porque o partido quer. Nem reconheço que o partido queira. É um pedaço do partido que quer.
O Geraldo ficou apenas com a ambição pessoal. Não tem motivo para ser candidato.
Nós lutamos no partido para que isso não acontecesse. Mas não considero que foi um processo totalmente aberto. Nosso grupo, que acreditava na aliança, acabou retirando a chapa.

Foi um erro?
CARVALHO – Sim. Teria sido a oportunidade democrática de marcar diferenças de posição.

Vocês venceriam?
CARVALHO – Acredito que sim. E, mesmo que não, o processo democrático teria se dado.

Há algo a fazer agora?
CARVALHO – Há dois candidatos. O PSDB tem o seu, e o DEM tem o seu, apoiado por tucanos. Mas não era necessário desqualificar os aliados e uma administração feita por gente do partido dele e aprovada pela população. Foi ele quem procurou a desunião. É ele quem tem de ser cobrado pelo oportunismo e pela perda de compostura. Não tem moral para se colocar como juiz supremo.

A campanha de Alckmin considera que, se não apontar os problemas da cidade, nada terá a dizer ao eleitor.

CARVALHO – Sabe por quê? Porque eles não têm projeto. Se fossem coerentes com as idéias do PSDB, estariam falando as mesmas coisas que nós. Nenhuma outra administração fez tanto pela saúde na cidade de São Paulo quanto esta. Ninguém pôs 20% das receitas líquidas do Orçamento na saúde.

Há controvérsia sobre vagas nas escolas e creches.
CARVALHO – Nós criamos, em quatro anos, 43 mil vagas em creches. Antes de nós, foram 60 mil desde o padre Anchieta. Quando o Geraldo diz “vou criar 150 mil vagas”, faz-me rir. É ingenuidade ou oportunismo. Ou ele quer enganar ou está enganado.

O sr. colocou em seu carro o adesivo “Sou tucano, voto Kassab”, material que o TRE mandou recolher a partir de ação da campanha de Alckmin.
CARVALHO – Isso é obscurantismo. Coisa da ditadura. Mandar apreender material que não ofende nem distorce a verdade, mas explicita uma tomada de posição.

Está preparado para enfrentar o Conselho de Ética?
CARVALHO – Essa ameaça não vai se concretizar. Não é o PSDB. Você olha para trás e vê que já houve até presidente do partido que apoiou, em eleição presidencial, candidato de outro partido.

O sr. se refere ao apoio de Tasso Jereissati a Ciro Gomes em 2002?
CARVALHO – Não estou dizendo que perdemos a oportunidade de levar o Tasso ao Conselho de Ética, embora ache que aquilo foi inadequado. Não havia motivo além da relação pessoal.
No caso atual, o PSDB está na prefeitura junto com o DEM, dando continuidade a uma aliança histórica. Que elegeu Fernando Henrique. Que elegeu o próprio Geraldo. O vice é sempre indicado pelo aliado. Você não impõe.

O sr. diz isso porque Alckmin declarou que Kassab foi imposto a Serra como vice.
CARVALHO – Ok, Serra não conhecia Kassab. Era um deputado indicado pelo partido aliado. O Geraldo defendeu o Kassab. E agora deturpa os fatos. Mesmo que tivesse acontecido como ele diz, tem algum vice mais leal ao projeto do PSDB, ao Serra? Não. Não vale dizer agora na propaganda que o Serra foi muito bem, mas que o Kassab se afastou do caminho. Quem pode testemunhar a mentira dessa conversa somos nós que estamos lá.
Quando tenta desqualificar a gestão Kassab, o Geraldo está atacando a nós, tucanos que tocamos a prefeitura. No início, ele admitia e elogiava os acertos do Kassab. Depois, bateu o desespero. Falar do Pitta…

Mas Kassab de fato foi secretário de Celso Pitta.
CARVALHO – Se o problema é aliança, o Pitta está agora no PTB, que apóia o Geraldo. E daí? Vamos fazer escarcéu por causa disso? O Quércia está conosco. E daí? Quantas vezes ele foi procurado pelo Geraldo pessoalmente? Isso desqualifica o Geraldo?

Alckmistas chamam vocês de “turma do holerite”.
CARVALHO – Talvez essa turma não tenha tido, no governo do Serra, as oportunidades que teve no governo do Geraldo. E então considera que precisa ocupar a prefeitura. A única forma de entender esse comentário é como ato falho.

Alckmin estabeleceu uma diferença entre “fundadores” e “afundadores” do PSDB.
CARVALHO – Sou fundador do PSDB. Mais do que muita gente que está com ele. Minha ficha de inscrição é a de número 007.
Afundador é quem viola os valores do partido, desrespeitando alianças e desqualificando colegas que estão na prefeitura cumprindo um programa com ampla aprovação do eleitorado.
Com essa postura ele se desqualifica diante da sociedade. Fica menor do que a conta em que o tínhamos.

FOLHA – Depois de tanto tiroteio, será possível recompor as forças no segundo turno?
CARVALHO – É inaceitável que o Geraldo escolha como adversário o Kassab. Ele até elogiou a Marta e disse que “o Lula tudo bem”. Isso é enganar o povo.
Nosso adversário é o PT. Hoje, Kassab carrega sozinho a obrigação de combater a Marta, porque o Geraldo está ocupado em combater o Kassab. O desgaste das relações pode dificultar a retomada do caminho, no segundo turno, contra o verdadeiro rival político, que é o PT.

FOLHA – O sr. acredita que Kassab venha a subir no palanque de Alckmin, ou vice-versa?
CARVALHO – Todo o movimento indica que Kassab irá ao segundo turno. O nível de aprovação à administração é significativo o bastante para se converter em apoio eleitoral, em voto. Em 2006, o Geraldo perdeu a eleição para presidente porque renegou a administração do Fernando Henrique. Agora vai perder a de prefeito por renegar a administração da cidade que é tucana.

Fonte: Folha Online

Clique aqui e receba as atualizações do In Blog por e-mail

rss_3

O In Blog envia até 3 e-mails com suas atualizações por semana, clique aqui, coloque seu e-mail e passe a receber nosso newsletter.

Veja mais:
Kassab participa de encontro inédito com internautas
TRE libera apoio a candidatos no Orkut
Alckmin, o melhor aliado de Marta
Jornalista revela as contas do marido de Marta Suplicy em paraíso fiscal e Polícia Federal suspeita de lavagem de dinheiro

One Response to Ex-chefe da casa civil de FHC diz que Alckmin é candidato para satisfazer ambição pessoal

  1. maria madalena sampaio disse:

    Considerando esse tal de Clóvis Carvalho como o salvador da Pátria do Kassab, vem meio que chegando querendo se aparecer coitadinho!!, lamento que esse tipo de gente=talha, ocupe inscrição no Partido da Social Democracia Brasileira, será que o velhote aí não sabe que o digníssimo Sr. Dr. Geraldo Alckmin, é Fundador do PSDB, e só por isso já tem garantido o direito de representar nosso Partido em qualquer eleição ? que temos Partido e Nome para ser representado nessa Eleição Municipal, ou qualquer outra eleição que houver. Qual o crime cometido pelo Geraldo, seria por ele honrar nosso Partido? seria por que ele peitou a todos e bateu pé firme para que nosso Partido saisse com representatividade Tucana? acho que é exatamente isto. Lidar com pessoas com a dignidade do Geraldo é pra bem poucos. Veja quem do nosso Partido está com ele: FHC, Aécio Neves, Serra, Floriano Pessaro, José Rolim, José Anibal, Deputado Federal Júlio, Tião Farias que timão hem? além de outros fundadores do PSDB honestos e honrados. Não daria para citar todos que apoiam o Geraldo mas que vcs TucaKassab sabe muito bem quem são.Qual foi o erro do Geraldo que até a presente data não consegui entender. O motivo seria por que ele estaria representanto seu Partido com muita Honra? Seria por que ele é honesto, competente , politizado,capaz ? acho que esqueceram que esse Homem já foi um dos Governadores mais bem votado e até para Presidente. Agora estar em um Partido e debandiar para outro é no mínimo falta de ética política, de vergonha na cara, de respeito com todos os Militantes do PSDB, enfim é,é, e´…………absurdo!!!!!! E vem falar em ética? de que lado está a ética, parem e,pesem, reflitam, analisam seus atos e se evergonhem sozinhos para não ficar vermelho de vergonha se é que possuem isto. Deixe o Geraldo trabalhar em Paz! Ele tem todo o direito e orgulho de estar reprsentando seu Partido mesmo sendo bombardeado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: