Como fazer uma campanha política na era digital

5 janeiro, 2016

Quando se fala sobre marketing político digital o primeiro exemplo que vem à mente, mesmo no Brasil, é a campanha presidencial do Obama em 2008. Passados 8 anos, nenhum político brasileiro foi capaz de se destacar em campanhas políticas de sucesso na internet. Mas este cenário está prestes a mudar, segundo Marcelo Vitorino, consultor de marketing digital e professor em cursos de marketing político digital em São Paulo e Brasília.

Para Vitorino, a reforma política em vigor desde o ano passado e que vai impactar as eleições 2016, vai mudar como fazer campanha eleitoral, que será cada vez mais focada no planejamento digital.

Mudança na campanha eleitoral 2016

Dentre todas as alterações trazidas pela reforma, podemos elencar as principais: redução do tempo de televisão, de 45 para 30 dias; proibição das doações empresariais; limite de gastos em campanhas e; uma das mais relevantes, mas pouco comentadas, a permissão aos candidatos de se apresentarem publicamente a qualquer tempo, o que antes só era possível após as convenções partidárias, próximas às eleições.

Estes elementos mudam totalmente o planejamento de campanha eleitoral. No modelo anterior de marketing político havia muito dinheiro disponível, o que muda em 2016. Metade de todo o investimento era destinado à televisão e o tempo de exposição do candidato era limitado ao período eleitoral, inferior a 120 dias.

“Com pouco dinheiro, as campanhas precisam se reinventar e, desde já, colocar o carro na rua, dada a liberação da exposição dos candidatos. O investimento, que antes se concentrava em dois meses, e que na eleição 2016 será muito menor, precisará ser alocado em, no mínimo, seis meses. Será muito difícil para os candidatos investir em militância paga, o que era uma prática muito comum nas campanhas brasileiras”, afirma Vitorino.

Em seu curso de marketing político digital, Vitorino apresenta dados de uma pesquisa realizada por sua empresa que mostram que “o eleitor conectado não quer discursos ensaiados, conversa fiada ou frases motivacionais. Ele quer saber o que o político pensa sobre a descriminalização da maconha, da legislação sobre o aborto, da definição de família e de qualquer outra pauta que altere a vida da sociedade”.

O que o eleitor conhecerá na eleição 2016 será uma campanha política diferente. A dúvida é: quais candidatos vão entender as novas oportunidades e se elegerem?


Depois de Alckmin se juntar a campanha, Kassabmania chega também a blogosfera

15 outubro, 2008
Marta, você quer um abraço?

Marta, você quer um abraço?

Quem é paulistano e teve a oportunidade de ver a última pérola de Marta “Favre/Belisário”, afinal, ela é casada e tem filhos, na qual fazia insinuações sobre a vida privada de seu oponente na disputa eleitoral, pôde finalmente se decidir.

Depois de analisar a vida pessoal de cada candidato, tomei a minha decisão: voto no Kassab, pelo seu caráter, dignidade e também pela coragem de enfrentar e combater o crime e o desrespeito para com os cidadãos desta cidade.

Quanto a sua oponente, depois de todas as perseguições que ela anda promovendo, tenho a impressão de que isso só pode ser fruto de carência, sendo assim, lanço a minha campanha: “Marta, você quer um abraço?”.

Outros blogueiros, como o Urso (do Pergunte ao Urso), o Ian Black, o Juliano Spyer,  e o Gravataí, também estão comigo nessa posição, veja todos clicando no link: http://www.votokassab.blogspot.com/

Ah, não esquecemos do Floriano Pesaro, vereador eleito nesta última eleição, estamos muito feliz com sua vitória, antes ele só devia satisfações ao prefeito, porém, agora são 30 mil eleitores que têm esse direito quando confiaram seu voto a ele. Ficou muito mais fácil fiscalizar suas ações, deve ser por isso que ele já está, segundo membros do PSDB, tentando voltar a ser secretário, contudo a agenda do prefeito anda cheia, parece que só poderá atender o então vereador próximo ao ano de 2012. Força Floriano, o In Blog publicará sim os 208 posts contando como será a sua semana. Das duas, uma, ou você será aclamado pela população por um excelente trabalho ou execrado por manter as portas do gabinete trancadas. Estamos com você!

Leia o resto deste post »


Kassab participa de encontro inédito com internautas

19 setembro, 2008

Pela primeira vez, um candidato reúne pessoas que o apóiam pela web para conversar e discutir propostas para a cidade, de um jeito diferente.

Neste sábado (dia 20/9), o prefeito Gilberto Kassab vai participar de um encontro diferente com os militantes que o apóiam pela rede social K25, o “Orkut do Kassab”. O evento acontece a partir das 14h The Hub, rua Bela Cintra, 409, Consolação. A presença de Kassab é prevista para às 15h30.

A idéia é que os apoiadores de Kassab na web possam se conhecer pessoalmente, bem como discutir os problemas da cidade e colocar suas idéias para o prefeito.

É a primeira vez que uma campanha política organiza um evento com esse, baseado no conceito de “Camp”, termo utilizado para designar encontros de blogueiros. Leia o resto deste post »


Secretário de Habitação de SP dá aula de competência e seriedade

15 julho, 2008

Portaria mais firme contra infratores da Lei Cidade Limpa entrou em vigor nesta semana.

São Paulo ainda mais bonita!

São Paulo ainda mais bonita!

Apenas duas oportunidades bastaram para que o atual Secretário de Habitação e Desenvolvimento da cidade, Dr. Orlando de Almeida Filho, conquistasse minha admiração e olha que isso não é uma tarefa das mais fáceis, pois sempre fui muito critico nas avaliações sobre o desempenho do funcionalismo público.

Estive com ele em um evento no último domingo, realizado em uma das extremidades da cidade, mais precisamente em Cidade Ademar. No caminho pude notar que havia alguns infratores da lei Cidade Limpa trabalhando sem o menor constrangimento, uns distribuíam panfletos, outros penduravam faixas e placas e tudo isso acontecendo por volta das onze da manhã. Fiquei indignado!

Muito bem, passada a raiva inicial de ver a cidade se emporcalhando, segui o meu caminho.

Na terça-feira, encontrei o Secretário novamente, desta vez em um almoço no prédio do Secovi, evento destinado a um grupo de jovens empresários da indústria habitacional pertencentes a um núcleo de novos empreendedores, o Secovi NE.

Dono de um currículo invejável, já havendo passado pela presidência do Creci e também do Sindicato dos Corretores de Imóveis, Orlando falou aos presentes com muita desenvoltura e prestatividade, não deixando nenhum pergunta sem resposta e indo além, falando de assuntos delicados que não foram indagados. Leia o resto deste post »


Militância tucana de joelhos, vergonha, revolta e medo!

22 junho, 2008

Do Inblog
Marcelo Vitorino

Rostos tristes em meio a muitos outros, estes últimos mais nitidamente amargurados, pelo menos todo o ambiente estava em harmonia com o ideal partidário desmantelado. Neste último domingo, foi assim que encontrei a militância tucana que sofreu o duro golpe do silêncio.

Essas expressões nada mais eram do que a reação, de certa forma, tímida, daqueles que queriam ter voz, mas não conseguiram ser ouvidos! Queriam decidir o destino de seu partido em seu município, mas tiveram esse direito tolhido, como se nada fossem e se a história individual de cada um nada representasse. Se o mesmo tivesse ocorrido em países como a Argentina ou os Estados Unidos, dificilmente a submissão aconteceria de forma tão pacífica. Leia o resto deste post »


Reviravolta em São Paulo! Kassab dispara em pesquisa! Candidatura de Alckmin terá fim em convenção do PSDB?

16 março, 2008
politicos.jpg
Ontem foi divulgada uma pesquisa feita pela Toledo & Associados com números para lá de felizes aos simpatizantes do atual prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, nela o candidato aparece em primeiro lugar na pesquisa espontânea – em que os eleitores citam um candidato sem nenhuma lista de estímulo – com 21,1% das citações, seguido por Marta, com 12,6% e Alckmin, com 9,9%.

Alckmin deveria repensar seu futuro político, pois o tempo está jogando contra o candidato, a cada dia que passa menor é a lembrança do eleitorado paulistano. Antes de ser oficializado como candidato pelo PSDB, o mesmo deverá se submeter a convenção partidária, o que parece ser um grande entrave em seu pleito municipal. Geraldo Alckmin não parece gozar do apoio da maioria dos delegados de seu próprio partido, talvez essa repulsa seja proveniente de sua forma peculiar de lidar com seus aliados enquanto esteve em situação favorável como governador de São Paulo ou disputando a eleição presidencial de 2006.

Me pergunto qual será o discurso de Alckmin numa eventual candidatura. Criticará a atual gestão, esquecendo que 80% dela é composta por membros do seu partido? Ou prometerá mudanças para melhor, como fez na candidatura para governador?

Conversei com muitos membros dos dois partidos, só ainda não tive a oportunidade de perguntar à Alckmin sobre sua promessa não cumprida de reduzir o preço dos pedágios, nem indagá-lo sobre a fábrica de incapazes que é a “aprovação automática” nas escolas estaduais.

É muito difícil, para o empregador, solicitar empenho de um jovem que passou pela escola sem precisar se esforçar. Criou-se uma mentalidade negativa sobre pessoas que ainda estão em formação psicológica e ainda não perceberam o mal que isso lhes trará na vida.

Se for derrotado na convenção, o que restará ao candidato? Já vou avisando que o síndico do meu prédio é ótimo, não temos interesse em substituí-lo.

Se for vitorioso ainda correrá o risco de perder as eleições, o que seria catastrófico para ele. Porém se ganhar as eleições, não poderá sair candidato em 2010, isto é, se tiver responsabilidade para com o povo paulistano.

É a primeira pesquisa que reflete aquilo que venho presenciando há tempos, a preferência dos paulistanos por Kassab. É engraçado escrever um artigo como esse no In Blog, já fui chamado de tucano, democrata e agora só me falta ser chamado de petista mas, pelo visto, hoje não será esse dia.

O jornal Estado de São Paulo publicou uma matéria com mais informações sobre a pesquisa, caso você se interesse, clique aqui para ler.

Algo de estranho está acontecendo no PT, enquanto a Dona Marta afirma não ser candidata: “Eu não disse que sou candidata, não disse nada sobre o apoio do presidente Lula. Não confirmo nada”, seu partido diz exatamente o contrário, veja mais.



Alckimin nunca mais! PSDB deveria pensar em outros nomes.

27 janeiro, 2008

O PSDB precisa ter candidatura própria! Se será para prefeito ou para vice, cabe ao partido decidir. De qualquer forma não acredito mais no Geraldo Alckimin como candidato a qualquer coisa.

Para ganhar da Marta basta colocar o Pepe Legal, qualquer um ganha. Se analisarmos o passado veremos que, nas eleições presidenciais, o Geraldo levou um “passa moleque” dos eleitores. Antes que venham os protestos quero dizer que votei nele, nos dois turnos.

Confesso que fiquei decepcionado pelo desempenho do candidato que não foi capaz de lutar contra o Lula numa época recheada de escândalos e mensalões. Se a situação tivesse sido inversa o PSDB estaria morto e enterrado!

Fora o fiasco nessa campanha, o Geraldo também me decepcionou com o descumprimento da promessa de reduzir os pedágios das rodovias e com a implantação do sistema de aprovação automática das escolas estaduais. Leia o resto deste post »