Impeachment Dilma e a histórica crise na política brasileira

31 maio, 2016

A situação não é boa. As noticias da política brasileira disparam aquilo que todo o País já sabe: a política do Brasil está bagunçada e sem limites. As eleições deste ano serão marcadas pelas determinações que a politica no brasil se encontra. São grandes os desafios e não há análises fáceis, muito menos respostas. O Blog da Política Brasileira nasce nessa conjuntura com o intento de dar noticias da política brasileira e provocar o interlocutor conectado a ler e se envolver com as informações, noticias e análises política.

Acreditar na política no Brasil

A internet é o caminho das eleições desse ano. De acordo com o colunista do Blog da Política Brasileira, Marcelo Vitorino, a Lei nº 13.165/2015 vai atingir o formato de gerir campanha política no Brasil, levando o leitor digital a esperar muito mais do que discursos ensaiados.

Últimas notícias do Brasil

No blog, é possível conseguir artigos exclusivos, que mostram não somente o que eles dizem, mas exatamente o que você precisa saber para diferenciar o que é política do que é politicagem.

O Política Brasileira não disputa com outros meios de notícias, ele vem para substituir um espaço aberto por Noblat e Paulo Henrique Amorim, com uma orientação mais analítica de discurso.

O espaço é composto pelos colunistas Antonio Augusto de Queiroz, Lucas de Aragão, Benicio Schmidt, Cristiano Nogueira, Francisco Baker, Isaac Roitman, Itamar Garcez, José Negreiros, Carlos Eduardo Bellini Borenstein, Marcelo Rech, Marcelo Vitorino, André Gustavo, Murillo de Aragão, Paulo Delgado e Thiago de Aragão, Rildson Moura, que escrevem opinião, artigos, análises, entrevistas, clipping de notícias sobre política, reforma tributária, economia no Brasil, oposição política no Brasil.

Há muito o que progredir na participação política e social da nossa população. Um dos meios capazes é o de proporcionar a inclusão política para criar uma comunidade com opinião política. Os problemas da democracia devem ser resolvidos com respaldo de democracia. Como diria nosso colunista Murillo de Aragão, não custa desejar.


Como fazer uma campanha política na era digital

5 janeiro, 2016

Quando se fala sobre marketing político digital o primeiro exemplo que vem à mente, mesmo no Brasil, é a campanha presidencial do Obama em 2008. Passados 8 anos, nenhum político brasileiro foi capaz de se destacar em campanhas políticas de sucesso na internet. Mas este cenário está prestes a mudar, segundo Marcelo Vitorino, consultor de marketing digital e professor em cursos de marketing político digital em São Paulo e Brasília.

Para Vitorino, a reforma política em vigor desde o ano passado e que vai impactar as eleições 2016, vai mudar como fazer campanha eleitoral, que será cada vez mais focada no planejamento digital.

Mudança na campanha eleitoral 2016

Dentre todas as alterações trazidas pela reforma, podemos elencar as principais: redução do tempo de televisão, de 45 para 30 dias; proibição das doações empresariais; limite de gastos em campanhas e; uma das mais relevantes, mas pouco comentadas, a permissão aos candidatos de se apresentarem publicamente a qualquer tempo, o que antes só era possível após as convenções partidárias, próximas às eleições.

Estes elementos mudam totalmente o planejamento de campanha eleitoral. No modelo anterior de marketing político havia muito dinheiro disponível, o que muda em 2016. Metade de todo o investimento era destinado à televisão e o tempo de exposição do candidato era limitado ao período eleitoral, inferior a 120 dias.

“Com pouco dinheiro, as campanhas precisam se reinventar e, desde já, colocar o carro na rua, dada a liberação da exposição dos candidatos. O investimento, que antes se concentrava em dois meses, e que na eleição 2016 será muito menor, precisará ser alocado em, no mínimo, seis meses. Será muito difícil para os candidatos investir em militância paga, o que era uma prática muito comum nas campanhas brasileiras”, afirma Vitorino.

Em seu curso de marketing político digital, Vitorino apresenta dados de uma pesquisa realizada por sua empresa que mostram que “o eleitor conectado não quer discursos ensaiados, conversa fiada ou frases motivacionais. Ele quer saber o que o político pensa sobre a descriminalização da maconha, da legislação sobre o aborto, da definição de família e de qualquer outra pauta que altere a vida da sociedade”.

O que o eleitor conhecerá na eleição 2016 será uma campanha política diferente. A dúvida é: quais candidatos vão entender as novas oportunidades e se elegerem?


Pai do Real, FHC falará em São Paulo nesta quinta-feira

25 março, 2008

fhc.jpg

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ministrará uma palestra gratuita nesta quinta-feira, 27 de março no auditório do hotel Crowne Plaza. O pai do plano Real que deu início a estabilização da economia brasileira e principal pensador político do país em atividade participará do evento organizado pelo Presidente Estadual do PSDB o Dep. Mendes Thame.

Continue lendo »


Vereadores e Deputados: Crise na representação popular?

9 novembro, 2007

Um dos principais temas que pautam os debates políticos nos parlamentos brasileiros, sobretudo na Câmara Federal e nas Assembléias Legislativas Estaduais é a questão da Reforma Política e Eleitoral.

O debate gira em torno da mudança do sistema eleitoral proporcional para o voto Distrital Puro ou Misto. Existe ainda os que defendam o voto de listas.

Mas qual a razão para essa pretensa mudança de sistema? Partidos como o PSDB pretendem reformar o sistema, não por mero casuísmo eleitoral mas sim devido a uma crise latente na relação entre representantes, ou seja, os parlamentares, e representados – os eleitores. Continue lendo »